Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Guia básica de vinhos para desfrutar no inverno!

O inverno combina muito bem com uma taça de vinho ao lado da lareira, não é mesmo? Mas você sabia que existe uma grande variedade de vinhos, que podem ser desfrutados tanto em dias frios como em dias de calor? 

Se você não conhece muito, mas tem curiosidade em entender um pouco melhor este universo, continue a leitura para descobrir algumas das características básicas que diferenciam os principais tipos de vinho.

Características do vinho

Os vinhos se diferenciam principalmente pelos tipos de uva usados para a sua composição. Por ser uma bebida produzida a partir da fermentação do suco de uva, também podem variar de acordo com a quantidade de açúcar e gás carbônico (período de fermentação), o que influenciará ainda no teor alcoólico do vinho no final do processo. 

Existem várias cepas de vinho ao redor do mundo. A cepa é o tipo de uva usado para a fabricação da bebida, e entre as mais famosas estão a Cabernet Sauvignon, a Merlot, a Malbec, entre outras. O vinho pode ser Varietal (uma única uva predominante na composição), ou de Corte (quando são usados vários tipos de uva para produzir um vinho). 

Você também já deve ter ouvido falar em “harmonização de vinhos”. A harmonização é quando, pelo sabor da bebida, o sommelier (especialista em vinhos) indica os tipos de comida que mais combinam no paladar para cada vinho. Há vinhos que vão bem com queijos fortes, outros que harmonizam melhor com peixes assados, ou ainda os que podem combinar com massas e carnes vermelhas, entre outros.

Tipos de composição do vinho 

Você poderá descobrir qual é o tipo de composição de cada vinho vendo a etiqueta na garrafa. Ali também estará a informação do ano de colheita da uva ou de engarrafamento da bebida, a região de origem, entre outros dados que podem te ajudar na escolha do vinho. A maioria é definida pelas seguintes nomenclaturas:

Vinho Tinto: são os vinhos feitos com uvas escuras como Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Malbec, Tannat, Pinot Noir, Tempranillo, Tanat e Touriga Nacional. São vinhos encorpados e com pouco açúcar. Podem ser harmonizados com queijos, carnes vermelhas ou peixes gordos, risotos e massas. 

Vinho Branco: são feitos com uvas brancas, como Chardonnay, Sauvignon Blanc, Riesling, Torrontés e Pinot Grigio, entre outras. Alguns também são fabricados com a poupa da uva escura (sem casca). O sabor é mais frutado, e a cor do vinho é bem clarinha, um pouco esverdeado ou amarelado. Muitas vezes é indicado para tomar em dias mais quentes. Combina com carnes brancas, frutos do mar, queijos e saladas.

Vinho Rosè: é feito com uvas escuras, mas tem uma coloração rosa-claro porque a casca da uva fica menos tempo dentro do processo de amassado. Tem um sabor suave e combina com carnes brancas, peixes, frutos do mar, saladas e petiscos.

Vinho Espumante: sim, o espumante é um tipo de vinho! É feito com uvas brancas e tem grande quantidade de gás carbônico. Passa por uma fermentação com leveduras na garrafa ou em cubas de inox. Harmoniza bem com peixes, ensopados, frutos do mar, saladas e petiscos.

Diferenças de sabor
 

Os vinhos também são diferenciados de acordo com o sabor, que será definido pelo tipo de uva e o processo de fermentação de cada bebida. Esta informação também sai na etiqueta da garrafa. Podem ser: 

Vinho Seco: feito com uvas nobres, tem um gosto mais forte e pouco açúcar. Deixa mais em evidência os aromas e sabores próprios da uva. É considerado vinho fino, e combina com carnes, queijos e petiscos.
 

Vinho Suave: usa uvas mais comuns e possui mais açúcar na composição. É conhecido também como “vinho de mesa”, por ser mais doce e encontrado com mais facilidade nos mercados. Combina com pratos leves, petiscos e sobremesas.

Vinho Doce: usa uvas nobres de colheita tardia, mais maduras, que são naturalmente doces, portanto, não leva adição de açúcar na composição. Harmoniza bem com doces, frutas e sobremesas. 
 

Vinho Fortificado: o mais famoso é o “vinho do Porto”. Depois de pronto, a bebida leva álcool vínico ou algum outro destilado como conhaque, e por isso fica ainda mais doce e alcoólico. Pelo alto teor alcoólico, é feito para durar mais tempo conservado. Combina com chocolates meio amargos, frutas secas, entre outras sobremesas. 

 Conclusão 
 
Com essas dicas, você já pode entender um pouco melhor para escolher qual vinho quer tomar no friozinho deste inverno. Vale destacar que o vinho é um produto que não se define pelo valor, pois há garrafas baratas que têm excelente qualidade de uvas, e a única diferença é o seu processo de fabricação.
 
Por isso, se for possível, faça uma degustação antes de optar pelos vinhos mais caros ou mais baratos! Se não der, decida de acordo com a sua preferência no paladar. Experimente até encontrar o vinho perfeito para você! 

Gostou dessas dicas? Então siga a Adriática nas redes sociais para conferir mais postagens sobre estilo de vida e decoração! Estamos no Facebook e no Instagram.
Rolar para cima